O Mundo feito por Ele não o conheceu?!

João 1:10 está dizendo que Jesus criou o Universo? Vamos ler o versículo: “Estava no mundo, e o mundo foi feito por ele, e o mundo não o conheceu”.

Os trinitarianos entendem que a referência é a criação original em Gênesis e que Jesus está sendo apresentado como Criador.

O problema se agrava consideravelmente quando observamos o texto mais de perto, questionando: como entender que o mundo físico de Gênesis não conheceu Jesus?

Vamos examinar todo o contexto para descobrir se a referência sobre “Aquele que criou o mundo, mundo que não o conheceu” aponta para Deus ou para Jesus.

Precisamos voltar ao verso seis, onde começa uma nova seção, mencionando o nome do Pai: “Veio um homem enviado por Deus”. A referência é a João Batista. O verso sete diz: “Este veio como testemunha, a fim de dar testemunho da luz, para que todos cressem por meio dele”. O verso seguinte segue dizendo: “Pois a verdadeira luz que alumia a todo o homem, estava chegando ao mundo”.

Observe que João Batista veio preparar o caminho para o Deus de Israel: “E tu, menino, serás chamado profeta do Altíssimo, porque irás ante a face do Senhor (Deus de Israel), a preparar os seus caminhos; para dar ao seu povo conhecimento da salvação, na remissão dos seus pecados” Lucas 1:76-77.

O Anjo diz para Zacarias, pai de João Batista: “[Ele] converterá muitos dos filhos de Israel ao Senhor seu Deus; irá adiante dele (do Deus de Israel) no espírito e poder de Elias, para converter os corações dos pais aos filhos, e os rebeldes à prudência dos justos, a fim de preparar para o Senhor (Deus de Israel) um povo apercebido” Lucas 1:16-17.

Note esse detalhe: “… (João Batista) converterá muitos dos filhos de Israel ao Senhor seu Deus”. Compare com João 1:7-9, contexto aqui em discussão: “Este (João Batista) veio para testemunho, para que testificasse da luz, para que todos cressem por ele. Não era ele a luz, mas para que testificasse da luz. Ali estava a luz verdadeira, que ilumina a todo o homem que vem ao mundo”.

Se a luz for o Pai, então não haveria problema algum para conectá-lo ao ato da criação original em “o mundo foi feito por intermédio dele”. No entanto, o texto diz que o mundo feito por ele “não o conheceu”. Portanto, não pode estar falando do mundo físico.

“Somos informados que “Deus é luz” e que a luz de Deus mostrada através de Jesus Cristo o fez “a luz do mundo”. Quem dá luz a Jesus é Deus, que é a própria Luz: “O deus desta era cegou o entendimento dos descrentes, para que não vejam a luz do evangelho da glória de Cristo, que é a imagem de Deus. Mas não pregamos a nós mesmos, mas a Jesus Cristo, o Senhor, e a nós como escravos de vocês, por causa de Jesus. Pois Deus, que disse: “Das trevas resplandeça a luz”, ele mesmo brilhou em nossos corações, para iluminação do conhecimento da glória de Deus na face de Cristo” 2 Coríntios 4:4-6

“Toda boa dádiva e todo dom perfeito vêm do alto, descendo do Pai das luzes…” (Tiago 1:17).

“Vocês, porém, são geração eleita, sacerdócio real, nação santa, povo exclusivo de Deus, para anunciar as grandezas daquele que os chamou das trevas para a sua maravilhosa luz(1 Pedro 2:9).

“A cidade não precisa de sol nem de lua para brilharem sobre ela, pois a glória de Deus a ilumina, e o Cordeiro é a sua candeia” (Apocalipse 21:23).

“Deus é luz; nele não há treva alguma(João 1: 5).

Na Bíblia não há uma correspondência total de um para um entre a palavra “luz” e Jesus. Às vezes, a palavra “luz” é usada para descrever Jesus (João 8:12). Às vezes, a palavra “luz” descreve algo ou outra pessoa. Essa é a natureza da metáfora. A Bíblia diz “Deus é luz” (1 João 1: 5), a nação de Israel é luz (Isaías 42: 6, Rom. 2:19), a palavra de Deus é luz (Salmos 119: 105), a mensagem de salvação no Messias é luz (Lucas 2: 30-32), o apóstolo Paulo era luz (Atos 13:47) e os seguidores de Jesus são luz (Mateus 5:14; Fil 2: 14-15).

Agora vamos voltar ao verso 10 de João Capítulo 1: “Estava ele no mundo, e o mundo foi feito por intermédio dele. E o mundo não o conheceu”.

Observe o que Jesus declara em João 17:25: “Pai justo, o mundo não te conheceu; mas eu te conheci, e estes conheceram que tu me enviaste”. Jesus, aqui, não pode estar fazendo referência ao mundo todo, pois o Evangelho estava sendo anunciado somente entre os judeus até aquele momento (compare Mateus 10:5,6; 15:24). Note que Jesus novamente fala dos judeus em João 15:21: “Mas tudo isto vos farão por causa do meu nome, porque não conhecem aquele que me enviou”.

O escritor da primeira epistola de João declara nos mesmos termos: “Vede que grande amor nos tem concedido o Pai: que fôssemos chamados filhos de Deus; e nós o somos. Por isso o mundo não nos conhece; porque não conheceu a ele” (1 João 3:1).

O que lhe parece? Acredito que fica evidente que aquele mencionado como não tendo sido conhecido em “O mundo não o conheceu” de João 1:10, é o Deus de Abraão, Isaque e Jacó. E tenha em mente ao fazer a leitura de todo o artigo: o termo mundo=cosmos (do grego antigo, Kosmos), nesse contexto de João 1:10, significa, especificamente, o povo da aliança de Deus, Israel, que não reconheceu a pessoa de Deus em Seu Filho.

Os judeus é que estavam sendo denunciados: “Expulsar-vos-ão das sinagogas; vem mesmo a hora em que qualquer que vos matar cuidará fazer um serviço a Deus. E isto vos farão, porque não conheceram ao Pai nem a mim” (João 16:2,3).

“Embora Deus estivesse no mundo de muitas maneiras, inclusive por meio de Seu Filho, o mundo não o reconheceu. Ele veio aos seus enviando sua imagem exata para eles, mas mesmo assim eles não receberam Deus, pois rejeitaram Seu emissário. O fato de que o mundo não o recebeu torna-se mais profundo no contexto, conforme a Escritura revela o quão fervorosamente Deus os alcançou — Ele fez seu plano e propósito carne e irradiou Sua luz através de Cristo para alcançar o mundo — mas eles não o receberam, embora estivesse oferecendo-lhes o “direito de se tornarem Seus filhos (v 12)” – Comentário em João 1:10. Postado originalmente no site biblicalunitarian (apesar de usar o texto do site, é necessário dizer que não sou unitariano).

O Deus de Abraão, Isaque e Jacó foi o personagem central à ser conhecido. Falando a favor dos discípulos, Cristo diz: E eu lhes fiz conhecer o teu nome, e lho farei conhecer mais, para que o amor com que me tens amado esteja neles, e eu neles esteja” (João 17:26).

Não há dúvidas; “Deus estava em Cristo reconciliando consigo o mundo” (2 Coríntios 5:19). É fato, não mito, que Deus “estava no mundo, mundo feito por intermédio dele, mundo que não o conheceu”. E mesmo que a Apologética Trinitariana deseje ter Jesus no texto como criador em Gênesis, as possibilidades são remotas, pois teríamos que admitir uma aberração: o mundo físico não teria reconhecido seu Criador (?!). Logo, a referência não aponta para a criação original dos Céus e da Terra; não é uma alusão para a ordem criada das coisas; não é o ambiente natural em si, mas pessoas, principalmente os judeus. Além do povo judeu, também é a esfera da criação que vive em rebelião com Deus (João 1:10; 7:7; 14:17, 22, 27, 30; 15:18-19; 16:8, 20, 33; 17:6, 9, 14, 25; 1 Cor 1:21; 2 Cor 4:3,4). Assim, este pequeno mundo judeu não conheceu a Deus, pois Deus havia se “escondido” sob o Filho do carpinteiro; Sua glória era interior. Portanto, podemos inserir no texto de João 1:10, o Pai, como Aquele que esteve no mundo.

Apresento aqui três versões que podem abrir seu entendimento. O que está entre parênteses são acréscimos meus:

DBY João 1:10 “Ele estava no mundo, e o mundo (os judeus) existiu por meio dele, e o mundo não o conheceu”.

NVI João 1:10 “Ele estava no mundo e, embora o mundo (Seu povo) tenha vindo a existir por meio dele, o mundo não o reconheceu”.

NLT João 1:10 “Ele veio ao mundo que criou (o povo de Israel), mas o mundo não o reconheceu”.

Aqui estão outras versões em Inglês com tradução para o Português. E tenha em mente mais uma vez: “o mundo” mencionado em João 1:10 não pode ser o mundo de Gênesis, pois “… o mundo que foi feito por elenão o conheceu”.

A Tradução da BBE diz: “He was in the world, the world which came into being through him, but the world had no knowledge of him” (Ele estava no mundo, o mundo que surgiu através dele, mas o mundo não tinha conhecimento dele).

A DBY Translation: “He was in the world, and the world had its being through him, and the world knew him not” (Ele estava no mundo, e o mundo existia através dele, e o mundo não o conheceu).

A NJB diz: “He was in the world that had come to be for him, and the world did not recognize him” (Ele estava no mundo que tinha vindo a ser por ele, e o mundo não o reconheceu).

NRS version: “He was in the world, and the world was born through him; however, the world did not know him” (Ele estava no mundo, e o mundo nasceu através dele; no entanto, o mundo não o conhecia).

A YLT diz: “in the world he was, and the world through him was made, and the world did not know him” (Ele estava no mundo, e o mundo através dele foi feito, e o mundo não o conhecia/reconheceu). Ou seja: “Do mundo (povo) que ele era, e que veio a existência por causa dele, não o conheceu”.

O que João 1:10 não está dizendo

Para os proponentes da divindade de Cristo, o verso 10 de João capítulo 1 é interpretado da mesma maneira que João 1: 3, como se Jesus estivesse na terra e também a tivesse criado. Eles entendem que de alguma forma o Logos, um “Deus Filho”, estava envolvido na criação de Gênesis. Esse entendimento comete erros de interpretação muito simples, mas fatais.

Todas as conexões entre o prólogo e o corpo do evangelho de João são evidências de que o prólogo não está introduzindo uma pessoa divina preexistente. O prólogo está apresentando o homem Jesus, o Messias de Nazaré, cuja vida é apresentada resumidamente no princípio, e então descrita amplamente no resto do livro (Leia meu artigo, “No Princípio” … que princípio? (João 1:1).

Como foi constatado, não podemos posicionar Jesus em João 1: 10 como criador em Gênesis, pois o texto não trata de um criador e sua criação original do Universo. De fato, pois em João 1:10 a palavra Cosmos=mundo ocorre três vezes; o primeiro e o segundo parecem fazer referência à criação de Gênesis, mas não é (“ele estava no mundo e o mundo foi criado através dele”), pois a terceira instância (“o mundo não o conhecia”) prova que a referência é ao mundo da humanidade, mais precisamente os judeus, visto que a percepção/conhecimento está envolvida. O envolvimento dos judeus no texto é confirmado pelo verso imediato, que diz: “Veio para os seus, e os seus não o receberam” (v 11).

Vamos parafrasear o verso 10 dessa maneira (lendo o 11 em seguida), “Ele esteve entre seu povo, o povo que veio a existência através dele. Porém, eles não o reconheceram. Veio para os seus, mas os seus não o receberam”.

No versículo 11, o autor expande a primeira e a terceira cláusulas do versículo 10:

1: 10a – “ele estava no Mundo

é paralelo a

1: 11a – “ele veio para o que era seu

Então,

1: 10c – “o Mundo (que) não o reconheceu

é paralelo a

1.11b “seu próprio povo (que) não o recebeu

O autor continuou a desenvolver seu propósito nos versículos 12 e 13: “Mas a todos os que o receberam, que creram no seu nome, deu o direito de se tornarem filhos de Deus, os quais nasceram, não do sangue, nem da vontade da carne, nem da vontade do homem, mas de Deus”. Assim, fica evidente que o Cosmos que não o recebeu é uma referência ao seu próprio povo.

Em João 1: 12,13, o autor é rápido em recuar um pouco em suas declarações de que o mundo não o conhecia e que os seus não o receberam. Ele rapidamente acrescenta que alguns o receberam e creram em seu nome, e que essas pessoas poderiam se tornar filhos de Deus, nascidos de Deus, parte da família de Deus. Estes foram os enxertados! (Compare com Romanos 11:23,24).

Outra visão de Mundo

O “Mundo”, Cosmos, também é mencionado no evangelho de João como a sociedade, ou aquelas pessoas que são hostis a Deus, perdidas na ignorância, no pecado e nas trevas.

Vamos ver alguns desses textos

João 6:33,51 “Porque o pão de Deus é aquele que desce do céu e dá vida ao mundo… Eu sou o pão vivo que desceu do céu; se alguém comer deste pão, viverá para sempre; e o pão que eu der é a minha carne, que eu darei pela vida do mundo”.

João 12:19 “Disseram, pois, os fariseus entre si: Vedes que nada aproveitais? Eis que o mundo todo vai após ele”.

João 14:17, 19 “O Espírito de verdade, que o mundo não pode receber, porque não o vê nem o conhece; mas vós o conheceis, porque habita convosco, e estará em vós… Ainda um pouco, e o mundo não me verá mais, mas vós me vereis; porque eu vivo, e vós vivereis”.

João 17:21 “Para que todos sejam um, como tu, ó Pai, o és em mim, e eu em ti; que também eles sejam um em nós, para que o mundo creia que tu me enviaste”.

Como visto, aqui em João, Cosmos tem relação com os seres humanos, a ordem da sociedade e cultura dos povos.

A palavra Cosmopolitano vem de Cosmos, e está relacionada com a sociedade humana e a variedade na cultura humana. De fato, pois usamos a palavra “mundo” de maneiras idiomáticas que não se referem ao globo físico. Falamos de “mundo dos esportes”, “mundo cristão”, “mundo judaico”, etc., ou seja, a sociedade e as pessoas envolvidas nesses reinos. Portanto, o planeta Terra não está em discussão em João 1: 9,10.

Quando este Evangelho diz que “Deus amou o mundo de tal maneira que enviou seu Filho único”, não deve significar que Deus amou tanto o globo, o planeta físico. Em vez disso, sabemos que o “mundo” que Deus tanto amou significa as pessoas, como o versículo continua dizendo, “para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna”. O globo físico, o planeta Terra, não pode acreditar em Jesus, o Messias, mas as pessoas podem. Compare isso com as palavras de Jesus em João 12:47: “Se alguém ouvir as minhas palavras, e não as guardar, eu não o julgo; pois eu vim, não para julgar o mundo, mas para salvar o mundo”.

Esses paralelos entre João 1:10-12 e João 3:16,17 e 12:46,47, são evidências de que “o mundo sendo feito” de João 1:10 é também o mesmo mundo que ele veio para salvar. No caso de João 1:10, descobrimos que Cosmos não se refere a pássaros, árvores, mar e terra quando atentamos para a última cláusula: “mas o mundo não o reconheceu”.

Conclusão

Estava no mundo, e o mundo foi feito por ele, e o mundo não o conheceu”.

O erudito James Coffman comenta:

“Essas palavras afirmam sem rodeios uma quase incredulidade. Que o próprio Criador do mundo deve deixar de lado a glória de Sua existência eterna e escolher entrar na vida terrena como um homem (através do seu Filho) sujeito a todas as inconveniências e limitações da carne, é um fato de espanto terrível; mas adicionado a isso está a recusa obstinada e rebelde da criação do Senhor em reconhecê-Lo quando Ele veio! Como o profeta clamou há muito tempo: “Senhor, quem creu em nossa pregação?” (Isaías 53: 1).

Deus não foi pego de surpresa pela recusa do homem em conhecer o Senhor, pois Seus profetas haviam fielmente predito isso. A repetição de “mundo” nessas linhas dramatiza a maravilha de a humanidade (o povo de Israel) não ter reconhecido Jesus quando ele veio” (Os detalhes entre parênteses são acréscimos meus).

Coffman, James Burton. “Comentário sobre João 1:10”. “Comentários de Coffman sobre a Bíblia”. Postado originalmente no site studylight – Abilene Christian University Press, Abilene, Texas, EUA. 1983-1999.

A interpretação trinitariana da divindade de Cristo de João 1, e especificamente de João 1: 3 e 1:10, que afirma que Jesus foi o criador do Universo junto a Deus, é uma contradição direta com muitas outras Escrituras que mostram claramente que o Criador de todas as coisas foi somente o Pai, o Deus de Israel.

Considere as seguintes passagens:

Isaías 45:18 Porque assim diz o Senhor, que criou os céus, o Deus que formou a terra, que a fez e a estabeleceu, não a criando para ser um caos, mas para ser habitada: Eu sou o Senhor e não há outro.

Isaías 44:24 Assim diz o Senhor, teu Redentor, e que te formou desde o ventre: Eu sou o Senhor que faço todas as coisas, que sozinho estendi os céus, e espraiei a terra. Quem estava comigo?

Esses versículos, e muitos outros como eles, não podem ser mais claros: somente Deus pode ser visto como Criador do Universo!

Consulte estas passagens; todos os pronomes e verbos estão no singular:

Salmos 102: 25; Isaías 37: 16; Isaías 40: 28; Isaías 42: 5; Isaías 45: 12; Jeremias 10: 12; Jeremias 27: 5; Malaquias 2: 10; Mateus 19: 4; Marcos 10: 6; Atos 17: 24; Apocalipse 10: 6.

Deus seja louvado

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s