A Sabedoria em Provérbios 8 é Jesus?

As Escrituras mostram que Deus (e somente Deus) sempre existiu (Salmos 90: 2). E Jesus, quem é Ele?

Faça esta pergunta a qualquer teólogo e sua resposta será comparável a esta declaração de um professor de teologia com vários diplomas universitários: “Jesus Cristo é a segunda pessoa eterna da Santíssima Trindade que se encarnou em Belém”. Esta declaração estaria de acordo com os catecismos e ensinamentos da maior parte da cristandade. Que Cristo é eterno como o Pai e existiu com Ele desde o início é quase universalmente aceito. Outros, embora rejeitem o conceito trinitário como antibíblico e ilógico, ensinam que ele preexistiu. Assim, a controvérsia sem fim continua. A doutrina foi estabelecida há tanto tempo que para o leigo médio sua verdade está além de qualquer dúvida. Por motivos como este a fé cristã permanece ou cai com a verdade de que Jesus Cristo é realmente o Deus Filho. Esse é o alicerce da doutrina trinitariana.

Mas o que dizer de tudo isso? Este é o ensino da Bíblia? Irá resistir ao teste de “Provar todas as coisas?”

Jesus foi a “semente da mulher” prometida desde o início, para destruir a lei do pecado e da morte, que era o produto da influência desorientadora da serpente (Gênesis 3:15). Por isso Paulo diz adiante: “Chegada a plenitude dos tempos, Deus enviou Seu filho, nascido de mulher, nascido sob a lei, para resgatar os que estavam debaixo da lei” (Gálatas 4: 4).

Se Cristo preexistia, como ele poderia ser descrito como a “semente da mulher?”

E o sábio Salomão está nos dizendo que “Cristo existia antes da criação do mundo?”

Leiamos os versículos em questão: “O Senhor me criou como a primeira das suas obras, o princípio dos seus feitos mais antigos. Desde a eternidade fui constituída, desde o princípio, antes de existir a terra.

Antes de haver abismos, fui gerada, e antes ainda de haver fontes cheias d’água. Antes que os montes fossem firmados, antes dos outeiros eu nasci, quando ele ainda não tinha feito a terra com seus campos, nem sequer o princípio do pó do mundo.

Quando ele preparava os céus, aí estava eu; quando traçava um círculo sobre a face do abismo, quando estabelecia o firmamento em cima, quando se firmavam as fontes do abismo, quando ele fixava ao mar o seu termo, para que as águas não traspassassem o seu mando, quando traçava os fundamentos da terra, então eu estava ao seu lado como arquiteto; e era cada dia as suas delícias, alegrando-me perante ele em todo o tempo; folgando no seu mundo habitável, e achando as minhas delícias com os filhos dos homens” (Provérbios 8:22-31).

Antes de começarmos este modesto artigo, uma pergunta é necessária: Se Jesus é a Sabedoria quem é a Prudência?

Eu, a sabedoria, habito com a prudência, e acho o conhecimento dos conselhos” (Provérbios 8:12).

A sabedoria e a prudência aparecem novamente juntas no Novo Testamento como posse dos cristãos: “Que ele fez abundar para conosco em toda a sabedoria e prudência” (Efésios 1:8). Isso poderia ser suficiente para qualquer sábio entender.

E acredite caro leitor, o Catolicismo romano retirou Jesus de Provérbios 8:22-31. E por qual motivo? Pelo simples fato de Provérbios 8:22 dizer que a sabedoria foi criada. Se a Sabedoria é criada, então não é Jesus nem o Espírito Santo. E adivinhem quem foi colocada no lugar da sabedoria? Ela mesma: Maria!

Dos textos, Provérbios 8 … exaltam a Sabedoria de Deus e que na liturgia se aplicam a Maria, a mais bela obra da Sabedoria de Deus” (Novo Advento, Enciclopédia Católica, Imaculada Conceição de Maria)

Hoje, católicos e uma maioria considerável dentro do protestantismo declaram – como aquele Ortodoxo Trintário olhando para o chão – sobre a sabedoria em Provérbios: “está claro que Provérbios 8: 22-31 não se refere a Jesus Cristo, pois a noção de sabedoria sendo “criada” por um ser que sempre existiu parece um paradoxo“.

Quem, ou o que, é a sabedoria?

Antes de olhar especificamente para esta passagem, devemos nos familiarizar com o contexto. Este capítulo começa com a personificação da sabedoria como uma mulher gritando nas ruas. Uma personificação é uma figura de linguagem em que as qualidades humanas são atribuídas a coisas não humanas. Por exemplo, dizer a alguém que a oportunidade está batendo à sua porta é uma personificação da oportunidade. Seria tolice para a pessoa ir verificar a porta para ver se alguém está literalmente batendo. A oportunidade não é uma pessoa real. No caso de Provérbios 8 , qualidades pessoais são atribuídas à virtude da sabedoria para que soe como uma pessoa ( Pv 8:12 ), mas não é realmente uma pessoa.

A intenção principal de Salomão – dos versículos 22 a 31 – é comunicar que Deus usou sabedoria quando criou o mundo. Deus foi sábio desde o início. Davi ecoa essa ideia nos Salmos. Ele escreve: “Ó Senhor, quão variadas são as tuas obras! Todas as coisas fizeste com sabedoria; cheia está a terra das tuas riquezas”( Salmo 104: 24 ). Isso deve significar o que disse Salomão em dois versículos de Provérbios 8: “O Senhor me possuía [sabedoria] no início de sua obra” e “Eu [a sabedoria] estava ao lado dele, como um mestre de obras …” ( vv. 22,30 ). Essa linguagem incrivelmente poética do Sábio deu vida a sabedoria.

Obviamente Deus não poderia ter produzido sabedoria. Sabedoria é um dos atributos essenciais que Ele possui desde a eternidade. Se os trinitarianos estiverem corretos, então Deus carece de sabedoria até que a produza. Visto que Deus é eterno, isso significaria que Ele existiu eternamente sem a virtude da sabedoria até que a produziu há um tempo finito – isso não está correto. O Deus da Bíblia é onisciente, o que significa onisciente. Portanto, não pode haver um momento em que lhe faltou sabedoria. Assim, o que Salomão está expondo, é que Deus criou tudo com sabedoria. Salomão exalta a virtude da sabedoria de Deus, não a sabedoria fora de Deus como se fosse uma entidade desencarnada.

Provérbios 8 é a voz da “Sabedoria” falando, mas não há nada que indique que essa “sabedoria” seja Cristo. O primeiro versículo do capítulo diz: “Não clama a sabedoria e o entendimento levanta a voz?” A sabedoria é personificada, mas não há referência a um Filho de Deus preexistente.

Personificação era comum na literatura hebraica. Na Bíblia do Intérprete, aprendemos que o hebreu gostava de personificar as coisas que via a seu respeito. Por exemplo, o profeta diz que “… os montes e os outeiros romperão em cântico diante de vós, e todas as árvores do campo baterão palmas” (Isaías 55:12). Essa tendência de personificar levou o hebraico a personalizar ideias e princípios abstratos. O processo neste caso particular de sabedoria é bastante claro. O princípio unificador chamado sabedoria veio de Deus.

Todo o capítulo fala de sabedoria como se fosse uma pessoa, mas não há referência a Cristo. Isso conecta a obra da criação com a sabedoria de Deus, uma conexão semelhante a outras declarações nas Escrituras, mas isso não quer dizer que Cristo teve qualquer conexão com a Criação. A sabedoria não era Cristo, mas o próprio Deus que criou tudo com sua sabedoria: “O Senhor, com sabedoria fundou a terra; com entendimento preparou os céus. Pelo seu conhecimento se fenderam os abismos, e as nuvens destilam o orvalho” (Prov. 3: 19-20). Falarei sobre isso mais adiante.

Provérbios 8: 22-31 foi interpretado principalmente de duas maneiras diferentes. Alguns afirmam que a passagem se refere ao Deus Filho (título dado a Jesus pelos Trinitarianos), mas a maioria dos estudiosos da Bíblia entende a passagem como se referindo à sabedoria.

Provérbios 8:22 foi um versículo altamente contestado durante a controvérsia ariana. Ário (250-330 dC) ensinou que o Filho de Deus não era divino, mas um ser criado. O Concílio de Nicéia em 325 dC rejeitou o ensino de Ário e no Credo Niceno afirmou que Jesus não foi criado.

Quem fala em Provérbios 8?

A primeira coisa que precisamos notar é que o orador diz: “O Senhor me possuiu”, “desde a eternidade fui estabelecida”, “fui criada”, “quando Ele estabeleceu os céus, eu estava lá”, “então eu estava ao lado Dele, “e diariamente era o Seu deleite”. Essas declarações não se referem ao Filho de Deus. Jesus Cristo não criou os céus e a terra; Ele não foi antes de todas as coisas de Gênesis 1. Veja meu artigo “TUDO foi criado por Ele

Se os trinitarianos concordam que a Sabedoria de Provérbios 8 é mesmo Jesus, então que resolvam seu impasse, pois eles acreditam que Ele criou todas as coisas e foi antes de todas as coisas. A palavra Grega “todos” é pas, e inclui todas as coisas – inclui Ele.

Mais uma vez: o contexto nos ajuda a entender o significado de Provérbios 8:22. Visto que o falante em Provérbios 8:22 é chamado de “eu”, precisamos descobrir se o contexto revela a identidade do falante. A identidade de “eu” é dada em Provérbios 8:12: “Eu, a sabedoria, habito com a prudência, e possuo o conhecimento e a discrição

Então a sabedoria se refere a si mesma como “eu”, “mim” e “meu” em cada versículo (v 13-21) antes do versículo 22. No versículo 22, a sabedoria se refere a si mesma como “eu/me” e depois “eu” nos versículos 23, 24, 25, 27 e 30. Depois, após Provérbios 8: 22-31, a sabedoria se refere novamente a si mesma como “eu” nos versos 32, 34, 35 e 36. Então, em Provérbios 9: 1, a sabedoria chama a si mesma de “sabedoria”. Devemos lembrar que capítulos e versículos foram adicionados depois que o livro de Provérbios foi escrito. Isso significa que o capítulo 9 é uma continuação do capítulo 8. Então, qual é o ponto? Provérbios 8:22 é sobre sabedoria. Não é sobre o Filho de Deus. E mesmo que em Provérbios 8, a sabedoria fala na primeira pessoa, não significa que a sabedoria é uma pessoa separada de Deus. A sabedoria é apenas um dos atributos de Deus. Da mesma forma, a sabedoria e o entendimento em Provérbios 3: 19 não são pessoas separadas de Deus: “Deus pela sabedoria fundou a terra; pelo entendimento estabeleceu os céus ”.

Mas, lido poeticamente, Provérbios 8 não é um problema, e não foi um problema para os judeus. Os problemas foram criados posteriormente pelos cristãos, a partir de meados do século II, que aplicaram a Provérbios 8 o artifício poético de personificar a sabedoria (semelhante à personificação do amor em 1 Co 13: 4, “o amor não inveja nem se vangloria” ) – e então transformaram a sabedoria em uma pessoa real.

Nem seria necessário dizer que quem fala e escreve é o rei Salomão em forma de poesia.

Jesus, a Sabedoria de Deus

1 Coríntios 1:24 registra: “Mas para os que são chamados, tanto judeus como gregos, Cristo, poder de Deus, e sabedoria de Deus“.

Isto deve significar apenas que Jesus tem sabedoria (Mt 13: 54; Mc 6: 2; Lc 2: 40,52); para transmitir sabedoria (Lc 21:15). Porém, alguns trinitarianos especulam que Jesus é chamado de “sabedoria de Deus” em 1 Coríntios 1:24 por causa da referência à “sabedoria” em Provérbios 8:22; o que provaria que Ele existia antes de seu nascimento, e que estava no início da Criação – um ponto fundamental na afirmação do Trinitariano de que Jesus é Deus.

Em 1 Coríntios 1:24, o apóstolo Paulo identificou Cristo como “a sabedoria de Deus” em reconhecimento de ser a personificação dessa sabedoria, mas ele não disse nada que indicasse que Cristo era a sabedoria das Escrituras do Antigo Testamento. Cristo possuía e vivia pela sabedoria de Deus tão completamente que poderia ser chamado de “a sabedoria de Deus”, pois falou apenas as palavras que recebeu de Deus (João 7:17; 12:50). Sabedoria não era algo que ele possuía antes de seu nascimento, mas algo que ele tinha que adquirir (“E crescia Jesus em sabedoria… “, Lucas 2:52). Era necessário que Ele aprendesse “obediência pelas coisas que sofreu e, tendo sido aperfeiçoado, tornou-se o autor da salvação eterna para todos os que lhe obedecem” (Heb 5: 8-9).

Provérbios 8 não ensina a pré-existência de Cristo. Tirar a conclusão de que Cristo é a “sabedoria” de Provérbios 8 porque Paulo O identificou como a “sabedoria de Deus” é ler nas Escrituras algo que não está lá. E não está completamente claro que Paulo pretendia identificar Jesus com a Sabedoria de Provérbios 8:1. Além disso, dizer que a “sabedoria” foi designada desde a eternidade, e que Cristo é essa “sabedoria de Deus” com base em 1 Coríntios 1:24) não encontra apoio mais nem mesmo entre os trinitários, e por boas razões.

Essa sabedoria em Provérbios foi “designada” (literalmente, “estabelecida”) por Deus e, portanto, está subordinada a Deus. A leitura cuidadosa do versículo e seu contexto mostra que a sabedoria foi “produzida como a primeira de suas obras” (v. 22). Se esta “sabedoria” fosse Cristo, então Cristo seria a primeira criação de Deus, que é uma crença herética para os trinitários ortodoxos. Portanto, muitos dos Padres da Igreja rejeitaram este versículo como um suporte da Trindade, entre eles “pesos pesados” como Atanásio, Basílio, Gregório, Epifânio e Cirilo. Também o rejeitamos, e por muitas razões.

Pegar um conceito e falar dele como se fosse uma pessoa é um erro imperdoável no estudo da Teologia. A personificação é apenas uma figura de linguagem. A personificação geralmente torna mais fácil nos relacionarmos com um conceito ou ideia porque, como humanos, estamos familiarizados com o relacionamento com outros humanos. A personificação era comum entre os judeus, e a sabedoria de Deus é personificada em Provérbios. Cristo é considerado a sabedoria de Deus em Coríntios por causa do que Deus realiza por meio dele.

Em 1 Coríntios 1:24, descobrimos que Jesus também é referido como “o poder de Deus”. Em Atos 8:10, Filipe, o evangelista, também é descrito como o “poder de Deus”, por Simão, o feiticeiro. Mas isso não significa que Simão pensava que Filipe era Jesus, ou vice-versa.

O próprio Evangelho é descrito como o “poder de Deus” (1 Coríntios 1:18), mas isso não significa que o Evangelho e Jesus são uma e a mesma coisa. Jesus é descrito como o “poder de Deus” em 1 Coríntios. 1:24, e ainda assim Jesus está sentado à direita do “poder de Deus” (ver Lucas 22:69). Mas como pode Jesus sentar-se à direita de si mesmo?

Em Efésios 3:10, descobrimos que há uma VARIEDADE na sabedoria de Deus: “… Para que agora, pela igreja, a multiforme sabedoria de Deus seja conhecida dos principados e potestades nos céus” .

Agora veja como encontramos em Provérbios 3:19 outra pessoa participando da criação além da sabedoria: “O Senhor pela sabedoria fundou a terra; pelo entendimento estabeleceu os céus“. Nesta passagem, descobrimos que não havia apenas a “sabedoria” com o Senhor no início, mas também outra pessoa chamada entendimento! Aliás, nós podemos ver a sabedoria acompanhada ainda de uma terceira pessoa, a Senhora Prudência: “Eu, a sabedoria, habito com a prudência…” (Provérbios 8:12).

Para serem consistentes, os trinitarianos teriam que transformar o “Entendimento” e a “Prudência” em seres vivos!

A Sabedoria em Mateus e Lucas

Para os trinitarianos, provérbios 8: 22-31 é famoso por sua descrição da sabedoria de Deus como uma pessoa ou entidade – uma figura no nível da divindade que auxilia Deus de alguma forma na criação do mundo: Jesus, mais conhecido entre os trinitários como Deus Filho.

Vamos agora ler duas passagens que estes trinitários defendem com unhas e dentes para proteger seu argumento (Jesus é a Sabedoria de Provérbios 8) contra os “terríveis hereges” antitrinitários.

Lucas 11: 49-51 faz referência à Sabedoria de Deus: “Ele, porém, respondeu: Ai de vós também, doutores da lei! porque carregais os homens com fardos difíceis de suportar, e vós mesmos nem ainda com um dos vossos dedos tocais nesses fardos.

Ai de vós! porque edificais os túmulos dos profetas, e vossos pais os mataram. Assim sois testemunhas e aprovais as obras de vossos pais; porquanto eles os mataram, e vós lhes edificais os túmulos.

Por isso diz também a sabedoria de Deus: Profetas e apóstolos lhes mandarei; e eles matarão uns, e perseguirão outros; para que a esta geração se peçam contas do sangue de todos os profetas que, desde a fundação do mundo, foi derramado; desde o sangue de Abel, até o sangue de Zacarias, que foi morto entre o altar e o santuário; sim, eu vos digo, a esta geração se pedirão contas” (Lucas 11:46-51)

No contexto, Jesus é o orador e invoca a hipocrisia de seus detratores. Mas, no versículo 49, Jesus repentinamente interrompe outro orador, a Sabedoria de Deus. Lucas tem a Sabedoria falando na primeira pessoa. Jesus dá a impressão de que foi a Sabedoria quem enviou os profetas e apóstolos.

Para os trinitarianos, o incrível (?) impacto da declaração vem quando se compara Lucas 11:49 com a passagem paralela do mesmo incidente em Mateus 23. Observe a parte sublinhada, lembrando que quem fala, como em Lucas 11, é Jesus:

Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! porque edificais os sepulcros dos profetas e adornais os monumentos dos justos, e dizeis:

Se tivéssemos vivido nos dias de nossos pais, não teríamos sido cúmplices no derramar o sangue dos profetas.

Assim, vós testemunhais contra vós mesmos que sois filhos daqueles que mataram os profetas.

Enchei vós, pois, a medida de vossos pais. Serpentes, raça de víboras! como escapareis da condenação do inferno?

Portanto, eis que eu vos envio profetas, sábios e escribas: e a uns deles matareis e crucificareis; e a outros os perseguireis de cidade em cidade; para que sobre vós caia todo o sangue justo, que foi derramado sobre a terra, desde o sangue de Abel, o justo, até o sangue de Zacarias, filho de Baraquias, que mataste entre o santuário e o altar.

Em verdade vos digo que todas essas coisas hão de vir sobre esta geração
(Mateus 23:29-36).

Enquanto em Lucas, Jesus e Sabedoria são claramente distintos (Jesus se refere à Sabedoria), e a Sabedoria parece desempenhar o papel de Deus, Mateus coloca as palavras da Sabedoria na boca de Jesus. E já que Jesus disse isso, e Lucas diz que a Sabedoria quem disse, o trinitariano supõe que Jesus é essa Sabedoria de Provérbios 8. No entanto, essa afirmação é completamente cega para o fato de que Jesus foi o profeta que Deus prometeu levantar dizendo que colocaria Suas palavras em sua boca. As Escrituras do NT nos mostram muitas vezes que Deus colocou Suas palavras na boca de Jesus e as palavras de Jesus não eram suas, mas do Pai que o enviou. O próprio Jesus dá testemunho disso várias vezes (João 7:17; 8:28; 12:50). Jesus falava pela sabedoria de Deus em Lucas 11:49.

Observe as palavras do Profeta Isaías sobre Jesus: “Então brotará um rebento do toco de Jessé, e das suas raízes um renovo frutificará. E repousará sobre ele o Espírito do Senhor, o espírito de sabedoria e de entendimento, o espírito de conselho e de fortaleza, o espírito de conhecimento e de temor do Senhor” (Isaías 11:1,2).

Compare as palavras de Isaías acima com estas passagens a seguir:

Mateus 13:54: “E, chegando à sua pátria, ensinava-os na sinagoga deles, de sorte que se maravilhavam, e diziam: De onde veio a este a sabedoria, e estas maravilhas?”

Marcos 6:2: “E, chegando o sábado, começou a ensinar na sinagoga; e muitos, ouvindo-o, se admiravam, dizendo: De onde lhe vêm estas coisas? e que sabedoria é esta que lhe foi dada? e como se fazem tais maravilhas por suas mãos?”

Lucas 2:40: “E o menino crescia, e se fortalecia em espírito, cheio de sabedoria; e a graça de Deus estava sobre ele”.

Lucas 2:52: “E crescia Jesus em sabedoria, e em estatura, e em graça para com Deus e os homens”.

Lucas 11:31: “A rainha do sul se levantará no juízo com os homens desta geração, e os condenará; pois até dos confins da terra veio ouvir a sabedoria de Salomão; e eis aqui está quem é maior do que Salomão”.

Portanto, por meio de Jesus a sabedoria divina declara seu conselho, a sabedoria pessoal de Deus que apareceu em Cristo e emitiu a declaração, como em Lucas. É a pessoa de Cristo sendo a auto-revelação pessoal da sabedoria de Deus.

Deus encheu Jesus de sabedoria, que é uma virtude, e não Ele (Jesus) mesmo. Ele fez o mesmo com Salomão: “E todo o Israel ouviu o juízo que havia dado o rei, e temeu ao rei; porque viram que havia nele a sabedoria de Deus, para fazer justiça” 1 Reis 3:28.

E deu Deus a Salomão sabedoria, e muitíssimo entendimento, e largueza de coração, como a areia que está na praia do mar” 1 Reis 4:29

E toda a terra buscava a face de Salomão, para ouvir a sabedoria que Deus tinha posto no seu coração” 1 Reis 10:24

Sabedoria e Entendimento andam juntas (Pv 2:10; 3:13; 4:5; 4:7; 24:3), mas são virtudes e não espíritos desencarnados.

A sabedoria estava com Deus, mas não era Jesus: “Com ele está a sabedoria e a força; conselho e entendimento tem” (Jó 12:13), e, “Com ele está a força e a sabedoria; seu é o que erra e o que o faz errar” (Jó 12:16). E ainda: “Eis que Deus é mui grande, contudo a ninguém despreza; grande é em força e sabedoria” (Jó 36:5). “Os mesmos” que estavam na criação: entendimento e sabedoria: “Quem pôs a sabedoria no íntimo, ou quem deu à mente o entendimento?” (Jó 38:36).

Davi não falava de Jesus e de uma pessoa chamada conhecimento, mas falava de virtudes: “A minha boca falará de sabedoria, e a meditação do meu coração será de entendimento” (Salmos 49:3).

Deus criou tudo com sabedoria, não com Jesus: “Ó Senhor, quão variadas são as tuas obras! Todas as coisas fizeste com sabedoria; cheia está a terra das tuas riquezas” Salmos 104:24. Compare novamente com Provérbios 3:19: “O Senhor, com sabedoria fundou a terra; com entendimento preparou os céus“.

A sabedoria de Deus permeia todas as partes da criação. Nenhuma parte do mundo está intocada. Tudo é moldado por sua mão sábia. Sua sabedoria resplandece na criação, como diz o Salmista: “Quando vemos o mundo que Deus fez, exclamamos com o salmista: “Ó Senhor, quão multiformes são as tuas obras! Todas elas as fizeste com sabedoria; a terra está cheia das tuas riquezas” (Salmos 104:24). E Jeremias acrescenta: “Ele fez a terra com o seu poder; ele estabeleceu o mundo com a sua sabedoria, e com a sua inteligência estendeu os céus” (Jeremias 10:12). Ele repete em 51:15: “Ele fez a terra com o seu poder, e ordenou o mundo com a sua sabedoria, e estendeu os céus com o seu entendimento”. A sabedoria, portanto, foi trazida do próprio Deus na criação. Essa compreensão do verbo em Pv 8:22 nega a afirmação de que Jesus é eterno.

E por fim, Sabedoria, Prudência e Instrução não são pessoas, mas virtudes: “Para se conhecer a sabedoria e a instrução; para se entenderem, as palavras da prudência” (Provérbios 1:2). E de fato, pois Salomão fala aqui da mesma sabedoria de Provérbios 8: “Porque o Senhor dá a sabedoria; da sua boca é que vem o conhecimento e o entendimento” (Provérbios 2:6). E ele acrescenta: “A sabedoria fortalece ao sábio, mais do que dez poderosos que haja na cidade” (Eclesiastes 7:19). E mesmo que Salomão dissesse que procurava conhecer a sabedoria, ele sabia que essa sabedoria não era uma pessoa: “Aplicando eu o meu coração a conhecer a sabedoria e a ver o trabalho que há sobre a terra, que nem de dia nem de noite vê o homem sono nos seus olhos” (Eclesiastes 8:16).

Jesus não participou da Criação

Como visto, a sabedoria não é uma pessoa distinta de Deus. A sabedoria não era uma entidade separada que estava com Deus quando ele criou o mundo. A sabedoria é personificada para enfatizar a sabedoria de Deus na criação do mundo. Além disso, Salomão estava poetizando sobre a sabedoria, e não sobre o Jesus preexistente.

Não era Jesus na criação, mas o próprio Deus. Ele criou tudo sozinho: “Assim diz o SENHOR, que te redime, o mesmo que te formou desde o ventre materno: Eu sou o SENHOR, que faço todas as coisas, que sozinho estendi os céus e sozinho espraiei a terra”, Isaias 44:24.

A tradução da Almeida Corrigida e Fiel enfatiza mais ainda: “Assim diz o SENHOR, teu redentor, e que te formou desde o ventre: Eu sou o SENHOR que faço tudo, que sozinho estendo os céus, e espraio a terra por mim mesmo”.

É importante lembrar aqui que foi o próprio Cristo quem descreveu a criação original como sendo trabalho de Deus, não dele: “Porque naqueles dias haverá uma aflição tal, qual nunca houve desde o princípio da criação, que Deus criou, até agora, nem jamais haverá” (Marcos 13:19). Compare com Hebreus 4:4, onde Deus, não Jesus, descansou da obra da criação, “Porque em certo lugar disse assim do dia sétimo: E repousou Deus de todas as suas obras no sétimo dia”.

Devo deixar claro que não há nada no livro de Provérbios que prove que a “sabedoria” é uma referência a Jesus.

A Deus toda glória

7 comentários em “A Sabedoria em Provérbios 8 é Jesus?”

  1. Bom dia, meu prezado,

    Era tudo o que eu pedi ao Eterno para entender, pois, após a leitura de todas as vossas apresentações, era o único texto que me afligia.
    Com certeza. Ele lhe usou para me dirigir as explicações. Ganhei o dia!

    Aproveito o espaço para lhe fazer mais uma pergunta, se o Sr. me permitir: quem seria o anjo do exército do Senhor em Josué 5:14, perante qual o mesmo se prostra? Afinal, sabemos que não é lícito prostrar-se diante de um anjo, pois também é criatura. Seria o arcanjo Miguel que aparece em Judas 1:9 disputando o corpo de Moisés com o inimigo? Ou o arcanjo Miguel em Daniel 12:1, que protege os filhos do teu povo?

    Em Daniel 10:13 aparece como um dos primeiros príncipes que derrotou o príncipe do reino da Pérsia; o capeta; para ajudar o anjo Gabriel. Em Daniel 9:25 aparece o Ungido, o príncipe!!!

    Desde já lhe agradeço pelas respostas.

    Agradeço a Deus também pelo entendimento e sabedoria que Ele lhe concedeu.

      1. Obrigado,

        Estou, há tempos, tentando entender isso.

        Pelo que li em todos vossos artigos, o Sr. é um especialista em idioma grego.
        Abraço,

        At

  2. Muito boa vossa resposta.

    Como foi que o sr.chegou à todas essas verdades inconvenientes; à cristologia tradicional, uma verdadeira revelação das entranhas das Escrituras?

    Continuo na expectativa de vossa resposta sobre o arcanjo Miguel. Abraço.

  3. “E acredite caro leitor, o Catolicismo romano retirou Jesus de Provérbios 8:22-31. E por qual motivo? Pelo simples fato de Provérbios 8:22 dizer que a sabedoria foi criada. Se a Sabedoria é criada, então não é Jesus nem o Espírito Santo. E adivinhem quem foi colocada no lugar da sabedoria? Ela mesma: Maria!”
    Falso!
    «Maria Santíssima é “Sede da Sabedoria” por ter acolhido Jesus, Sabedoria encarnada, no coração e no ventre. Com o “fiat” da anunciação ela aceitou servir a vontade divina, e a Sabedoria tomou morada em seu seio fazendo dela uma sua discípula exemplar. A Virgem foi bem-aventurada não tanto por ter amamentado o Filho de Deus, quanto, na realidade, por ter nutrido a si mesma com o leite salutar da Palavra de Deus». (S. João Paulo II, Angelus, 4 de setembro de 1983)

    1. Talvez você tenha algum problema em ler em português, pois não entendeu. Tente em inglês:

      From the texts Proverbs 8 and Ecclesiasticus 24 (which exalt the Wisdom of God and which in the liturgy are APPLIED to Mary, the most beautiful work of God’s Wisdom)

      Procure na página do New Advent, com o titulo, “Imaculate Conception”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s